\\ Pesquise no Blog

domingo, 7 de agosto de 2011

um primeiro momento

é chegado um momento. mais um momento especial neste rol de pequenos grandes acontecimentos. ontem, sábado, tivemos um ensaio com alguns amigos convidados. pela primeira vez ouvimos o que quem nos assiste está achando de tudo isso. foi tão bom, tão preciso. queremos fazer isso mais vezes, discutir, ouvir, dialogar, sugerir e perceber como a nossa ficção aporta em cada um que frente a ela se coloca.

hoje no primeiro tempo_festival das artes [http://tempofestival.com.br/programacao/?ano=2011&mes=8&dia=7&evento=53] estaremos fazendo o mesmo. de novo e mais uma vez estaremos nos abrindo o corpo e o peito para que todo e qualquer um nos diga onde foi que bateu. onde é que a coisa engasga ou flui tranquilamente. são medidas tão mutáveis. cada corpo recebe um dado de determinada maneira. não pretendemos ter esse controle, mas nossas escolhas serão feitas também a partir de tudo isso.

esta postagem é um desejo de dar os devidos parabéns a vocês, meninos do elenco. aos cinco. um parabéns pelo amadurecimento. e mais que isso: é também um chamar de atenção: para que não descansem. ainda não. estamos começando a construir o fim de nosso espetáculo. tudo em vocês precisa e deve ainda se manter inconformado, não-resolvido, à flor da pele... irritado! e por ai vamos...

o mais lindo, para mim, num processo de criação de um novo espetáculo é quando a peça (que ainda não temos) começa a se abrir, aos poucos, dia-a-dia. quando ela começa a se mostrar e a dizer o que gosta de fazer, ouvir e/ou comer. é quando percebemos que de tantas pessoalidades envolvidas na criação deste projeto, ele agora implora por liberdade, implora por nascimento. é o momento mais lindo esse que estamos passando. e digo mais, nada inédito, ele passa. daqui a pouco ficaram os registros no blog, os registros imateriais de nossas memórias.

mas por enquanto, vamos viver cada segundo com sua devida importância. é tão bom estar junto que a cecília chegou a nos dizer numa dada improvisação: é que depois da morte da Lilla eu percebi como é um desperdício não ter um melhor amigo.

estamos juntos. e o que temos em mãos: é lindo.

\\

Um comentário:

Flávia Naves disse...

Sim, é chegado esse primeiro momento, abrimos a porta da nossa casa quando ainda ajeitamos os móveis no lugar. Momento especial que pede pra ser apreciado, pede pra ser acolhido na angústia dessa provocação junto à beleza da celebração. Celebramos juntos essa conquista, um espaço de troca efetiva, de olhares atentos ao que está se desenhando, ouvidos atentos ao que está sendo doado, esse é o lugar daqueles que assistem e daqueles que fazem.
Coragem, é o que de mais íntegro podemos oferecer.
Até daqui a pouco