\\ Pesquise no Blog

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A GRANDE TRANSGRESSÃO

Mais uma contribuição do Juliano para o nosso processo:

"Cansei de carregar meu fim de mundo pra passear no bairro com o desastre atrás e o medo na frente. Essa boca também esgotou-se na tarefa de narrar escombros. Agora o vazio é bem vindo pois ele é lugar para guardar o amigo! Haverá agora em mim um outro olhar e quando eu viajar e ver o mar, ou ver um relógio de flores na cidade serrana, ou alguma pintura viva e turbulenta, estarei olhando pela Letícia e simultaneamente ela que estará olhando através de mim. Agora eu compreendo porque eu era feito de tanto vazio. É para que coubesse o outro, o mundo do outro. Essa imensidão que me ultrapassa tanto existirá em mim e por isso, eu serei menor e maior ao mesmo tempo.

Você sabe que uma vez eu fui com ela numa festa e ela carregava uma bolsinha esverdeada cheia de cacarecos. Durante a festa sentou-se no gramado e perdeu a bolsa. Quando foi embora passou a mão pelo jardim e pensou ter pego a tal bolsa, mas ela estava com uma tartaruguinha na mão. Já no carro alguém perguntou: o que você está fazendo com essa tartaruguinha no colo? E ela levou um grande susto, voltamos ao jardim e ficamos procurando a bolsa. As pessoas riam tanto junto dela que o mundo parecia estar sempre começando. Sempre perto de um caroço surreal, um núcleo mágico e abundante. É estranho que hoje se meçam as vidas pela longevidade quando muitas vezes uma longa vida jamais conheceu um grande sorriso como o dela.

Eu quis tanto experimentar e transgredir, mas agora percebo que a grande transgressão é o salto do outro para dentro de mim. Como é possível essa maravilha?"

5 comentários:

Diogo Liberano disse...

se chama atravessamento, essa grande transgressão, né?

Vitor disse...

um vazio né. um postura. um lugar pro outro. é o outro.

Flávia Naves disse...

hã..é..atravessamento.

Dominique Arantes disse...

nossa...
Atravessar... quero acreditar que é possível essa maravilha.

Obrigada Juliano, mais uma vez.

Fred disse...

a letícia, quando pulou do décimo oitavo andar, na verdade, não foi ao encontro das pedras portuguesas mas caiu para ser acolhida pelo vazio daqui de dentro. mas ela não cabe.. escapam pernas, braços e fios loiros e longos.

mesmo sendo mignon, a lilla é maior que o vazio.