\\ Pesquise no Blog

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

pequeno diálogo sem finalidade alguma

Marília: naquela nossa discussão de ontem você disse que concordava com a idéia do Fred e eu disse que não concordava e volto a dizer não concordo mesmo.

Nina: mas porque Marília?

Marília: como ele pode saber o que é certo e o que não é certo?

Nina: eu também não sei Marília , mas concordo com o Fred quando ele diz que a sociedade precisa de ordem e é preciso alguém para estabelecer a ordem, então que esse alguém ao menos seja justo e sábio.

Marília: e esse alguém é o Fred?

Nina: e porque não?

Fred: está vendo Marília, e porque não?

Marília: porque eu não sei se concordo com as suas idéias Fred.

Nina: Fred, eu gosto das suas idéias e não teria problema em te aceitar como meu líder, mas a Marília não concorda então sei lá, você precisa colocá-la do seu lado, tê-la como aliada, eu posso ficar debaixo olhando o que você faz, mas a Marília não conseguiria, ela precisa discutir e entender o que está acontecendo e você não pode pedir pra que ela se encaixe na minha posição, não, a natureza dela é outra, entende? Quando alguém se destaca do rebanho e quer seguir um outro rumo é preciso olhar pra essa criatura com atenção e sem medo, não é esse que não se encaixa que fará com que todos desviem seus caminhos, não, alguns, na verdade muitos preferem ficar no rebanho entende? Não é preciso temer o diferente é preciso apenas não ignorá-lo.

Fred: concordo com você Nina, mas com o Diferente é preciso não apenas ignorar, mas dar voz a ele, deixá-lo agir, só não ignorar é muito pouco, o Diferente é filho único, mimado e carente.

Nina: isso quer dizer você

Fred: sim, isso quer dizer eu. Mas era uma brincadeira, só mesmo pra dizer que a Marília não pode discordar de tudo que eu falo senão fica impossível, entende? Ela precisa ao menos aceitar que eu sei o que é melhor pra pessoas.

Marília: mas como você quer que eu aceite isso? Isso é tirania, é puro despotismo

Fred: Não confunda as coisas não tem nada a ver com posição política, é muito menos do que isso, é o simples fato de que nem sempre as pessoas sabem o que é melhor pra elas, você já viu como a gente pede opinião? O tempo inteiro estamos fazemos isso: o que você acha fulano, acha que eu devo ou não devo? Faço isso ou aquilo? E porque? Porque não temos certeza do que é melhor pra gente, é preciso alguém pra dizer o que é melhor, você não percebe? A própria sociedade implora por esse alguém.

Marília: e você é essa pessoa?

Fred: estou chegando lá


Dominique: Acho graça que esse tipo de discussão ainda aconteça, não posso dizer a eles que tudo o que dizem é pura ilusão mas tampouco posso dizer que é verdade. A gente tem que deixar as pessoas com os sonhos delas senão vira tudo babaquice e viver não passa de uma invenção abstrata e superficial. As vezes invejo pessoas que defendem um posição com clareza e convicção. Ao menos elas acreditam em alguma coisa nem que seja nas próprias opiniões, já eu não acredito em nada o que inclue eu mesma, não acredito que existo nem tampouco que não existo, pode parecer estranho mas é assim que é.

Vítor: nossa que merdão heim? Se eu fosse você me matava

Dominique:.....

Vítor: era uma brincadeira, desculpe.

4 comentários:

Flávia Naves disse...

só pra se verem em outro lugar. Não me inspirei em nenhum de vocês e joguei os nomes de forma aleatória, é engraçado ver o que desse discurso pode ser seu e o que dele não tem nada de seu. Esses personagens são diálogos com pessoas que têm atravessado a minha vida.

Fred disse...

haha

eu confesso que me identifico em partes com este fred aí de cima.

;)

*Vendetta* disse...

acho que a nossas discussoes sao assim mesmo!

Dominique Arantes disse...

Concordo.

Nos encontro nessas palavras...