\\ Pesquise no Blog

terça-feira, 21 de junho de 2011

ensaio 39

21/06/11, unirio, sala 505
diogo, dominique, fred, flávia, marília, nina e vítor.

FECHAMENTO DO CRONOGRAMA DE ENSAIOS.

TEXTO/PAPO DOSTOIEVSKIANO

Discussão sobre Personagens

RITA
se preocupa com a reunião dos amigos
chama atenção para a sua religiosidade
desejo de ter uma vida profissional
flerte com novas possibilidades para a sua vida (desejo de expansão)
mas suas expansões não ecoam, apesar de tentar
talvez porque esteja à espera da participação do outro
ela tem uma coisa muito simbiótica
capacidade de se magoar pela não-participação do outro
prática no sentido afetivo (se não for isso, o que justifica a amizade?)

ODILON
as palavras não escapolem da boca do Odilon, as palavras acontecem
só que existem coisas que rendem, que surgem do seu íntimo
humor embutido de ironia
ele não quer se deixar levar numa depressão
pensar na partida dele (logo após o enterro) e na volta (quase dois meses depois que partiu)
como ele chega? de frente aos amigos que “abandonou”?
sedutor, blasè, raiva
ele não fala a poesia, a poesia se faz depois em que o lê (e vê)
não ficar refém nem da dor nem da poesia

CECÍLIA
lista, algo muito obsessivo – surreal
denúncia da fraqueza dela, de sua dor
de se agarrar a nomes e catalogações
tudo dentro de um formato
para não perder
para não ter liberdade suficiente para doer
ela é automática, um pouco histérica
o fazer da lista talvez seja algo inconsciente
lógica um pouco mecânica da lista
trazer o bicho para que fiquem juntos com eles

ANDRÉIA
grosseria (não ser apenas isso)
ela tá tentando falar sobre o assunto
incômodo primeiro de estar ali sem compreender a situação (falta um)
as grosserias não visam calar
está vazando
a melhor amiga morreu
afetação instantânea!
resposta kinestética
kinesfera diferenciada para odilon

INÁCIO
humor e piadinhas (todos os amigos expressam a dor do sofrimento de uma maneira muito possível)
lugares possíveis de pessoas que sofrem a morte de uma amiga
aparentemente, ele não se revela
não quer enfrentar o dragão
ele escapole, foge para outro lugar
e ele foge pela piada, pela graça
mais reservado, não divide tudo
qual é o caráter dessas piadas?
lógica do videoclipe
inácio não ri (?!)
não tolerar o chororô
não expor, ao mesmo tempo, todo o seu histórico

\\

3 comentários:

Flávia Naves disse...

Acrescento a palavra CORAJOSO para Odilon e INFLEXIVEL para Inácio.

AS COISAS EM JOGO AGORA SÃO OUTRAS. Palavras do Diogo na terça se referindo ao fato desses amigos ali estarem para testar a validade da intimidade entre eles.

Homeostase: o organismo que funcionava em equilíbrio perde a estabilidade. Como prosseguir nessa instabilidade? nesse desconhecer-se?
Daqui a pouco as coisas se reajustam, mas até lá como conviver nesse desconhecido, nessa estranheza, nesse vazio?

Fred disse...

- se for para falar da lilla, de morte, se for para chorar ou para lembrar do passado não contem com o Inácio. Ele não participa de nenhuma conversa que se aproxime desta zona de desconforto.

- recurso cômico como ferramenta de fuga ?

- ele não enfrenta o dragão mas sente o baforar quente deste. Ele é atravessado sim, mas será que só quando está só ?

- ser calejado na vida é ser indiferente ?

- aniversário da Marília !!!

Vitor disse...

coragem é um achado pensando agora.