\\ Pesquise no Blog

terça-feira, 3 de maio de 2011

SOBRE A PALAVRA. O DIZER. A FALA.

"A vida de um homem é o instante onde o mundo, em vão, se ilumina. A pedra, a lua e o rosto do outro não seriam comemorados e celebrados se o breve trânsito de nossa aparição não contasse com a língua e com a palavra. Também os gestos ou a dança, e a pintura, igualmente celebram, mas é na palavra das línguas que o mundo deixa de ser mundo e pode tocar a aparição. Se o homem deixar de existir e apenas o lagarto ou outro animal grunhir para a lua, então ela será menos lua e algum deus criador que acaso persista em sua incansável persistência terá de reconhecer que sua "obra" não é devidamente celebrada e ele, junto de seu imenso narcisismo trabalhista, teria de se suicidar. Celebrar é estar exposto e atingido pelas coisas a ponto de, ao dizê-las, guardar-lhes a vibração, comemorá-las."

trecho retirado do livro "Certeza do Agora" de Juliano Garcia Pessanha

Um comentário:

Flávia Naves disse...

Marília, lembra que fiquei de te mostrar esse texto? Leia com atenção e veja que bonita a forma como ele defende a palavra.
bjs