\\ Pesquise no Blog

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Antonin Artaud



"Mais urgente não me parece tanto defender uma cultura cuja existência nunca salvou uma pessoa de ter fome e da preocupação de viver melhor,quanto extrair, daquilo que se chama cultura, idéias cuja força viva é idêntica à da fome. Todas nossas idéias sobre a vida tem de ser revistas numa época em que nada mais adere à vida. E esta penosa cisão é motivo para as coisas se vingarem, e a poesia que não está mais em nós e que não conseguimos encontrar mais nas coisas reaparece, de repente, pelo lado ruim das coisas; e nunca se viu tantos crimes, cuja gratuita estranheza só se explica por nossa impotência em possuir a vida. Se o teatro existe para permitir que o recalcado viva, uma espécie de atroz poesia expressa-se através de atos extranhos onde as alterações do fato de viver mostram que a intensidade da vida está intacta e que bastaria dirigi-la melhor"

4 comentários:

Flávia Naves disse...

esse trecho é da onde?

Vitor disse...

...

amo!

Marília Misailidis disse...

Esse trecho é de um livro chamado "O Teatro e seu Duplo".O outro trecho que coloquei é de um outro livro,este com tradução de Ferreira Gullar,onde Artaud fala sobre sua amizade com Van Gogh.Acho que chama-se "Van gogh",não lembro...amo esse livro.

INOMINáVEL disse...

VAN GOGH, O SUICIDADO DA SOCIEDADE
precisamos ler esse texto
é um estupro,