\\ Pesquise no Blog

sábado, 20 de novembro de 2010

Sinopse # 2

Cinco amigos se encontram para um jantar. O prazer da reunião, no entanto, se converte num intempestivo diálogo sobre a incapacidade mútua de tolerância deste agora. Como alternativa, resolvem preparar um ato terrorista e desde então começam a ensaiá-lo. Aos poucos, porém, percebem-se como os reais alvos da própria trama. E  o que fazer então? Suprimir o gesto irrevogável ou se permitir cortar?

5 comentários:

Flávia Naves disse...

essa sinopse realmente é muito interessente. só agora me dei conta de que eles começam a "ensaiar" um ato terrorista...isso pode ser bom também....eu e minha obsessão pela metalinguagem

Flávia Naves disse...

é...bom, mas o fato é que de fato eu não gosto da idéia de ato terrorista. não dá, não consigo engolir, parece que a gente vai querer levantar bandeira em cima de alguma coisa que não alcançaremos nunca. Um ato terrista significa combater a guerra com a própria guerra. eu nem acho esse ato válido. Sou mais o ato de resistência como do cara diante do tanque ou de atos de atravessamentos como tantos que a gente já pensou e fez.

Diogo Liberano disse...

vc precisa rever tropa de elite 2. do início ao fim. sem piscar os olhos.

Vitor disse...

metalinguagem: otimo. tao otimo que imagino um mergulho nela. um mergulho na ficçao: sonho, loucura, imaginaçao, tempo real, passado, amanha, ha 2 minutos...enfim... ora, o maldito fim.Olhando com tristeza: somos programados pra dar errado, no final a gnt morre. Olhando com alegria(me vem infancia): "o presente como presente"(kung fu panda).fim.

Flávia Naves disse...

Diogo, acabei de te enviar uma carta que começou exatamente na discussão em torno do filme Tropa de elite. eu vou assistir sim.